quarta-feira, 21 de abril de 2010

Hideki , Yazumi Hideki

Nascido em 1991 Novembro 02, numa região chamada Daito interior de Shizuoka, cidade central do Japão, Yazumi Hideki, viveu com seus pais sua infância. Sua mãe Yazumi Yumi era do-lar e costureira, seu pai Yazumi Yamada estava entrando cada vez mais nos negócios de grandes empresas transnacionais.

Nesse primeiro período, frequentou o colégio da região, Akira Iamamoto. Do primário ao colegial (mesmo estudando em outra escola) foi a criança mais travessa de todas. Possuía tanta desenvoltura que convencia qualquer um sobre qualquer coisa. Nunca foi tão inteligente, porém era muito esperto e habilidoso.

Em casa, mesmo sendo filho único, vivia cercado de pessoas e de animaizinhos também. Morando em um pequeno sítio, tinha um porquinho de estimação, que fora devorado no Natal seguinte.

Aos 9 anos mudou-se com sua avó para uma cidade vizinha. Lá conheceu Nakano Sayori, sua melhor amiga e muito provavelmente única também.

Hideki era um dos mais belos garotos da cidade, com seus olhos e cabelos negros, franjas sobre o rosto. Possuía, com 10 anos, um dom sem igual de compreensão, era sensitivo.

Aos 11 anos nas férias de verão, iniciou uma nova jornada, uma grande aventura. Juntamente com seu novo mascote, um Husky de olhos azuis reluzentes chamado de Chiukchi, porém apelidado por Hideki de Chizu, para as montanhas. Descobriu muito sobre a natureza e seus seres. Enquanto sua avó ficou louca 4 dias à sua procura.
Com 14 anos foi para a cidade grande com seu pai Yamada. Para estudar e trabalhar com ele em seu escritório.

Hideki deslumbrava-se com a imensidade da cidade, a multidão, os carros, Tokyo era realmente linda. Tornou-se observador. E enquanto trabalhava no escritório com o pai, observava pela janela e fazia anotações.

No novo colégio aprendeu coisas boas, mas que já sabia, coisas que não o importava. Sentia falta de Sayori, e os tempos de criança.
Hideki prestes a completar 18 anos, recebeu um simples e-mail do gerente-supervisor da empresa, que dizia:

"Senhor Yazumi Hideki, o vice-presidente Hamura Makoto, exige sua presença na próxima reunião 2009-11-01"

Seu pai assustou-se, pensando que seria algo grave para Hideki, enquanto Hideki pouco se importava.

Hideki foi promovido, incrivelmente antes de possuir maior idade, já tinha cargo e obviamente salário melhores de que seu pai. Além disso a empresa pagaria sua faculdade ou cursos que ele escolhesse fazer nos próximos 10 anos.
Hideki ficara lisonjeado, porém não optou por todos esses auxílios.

Estudou muito e trabalhou muito durante todo esse tempo, sem jamais esquecer Sayori, e ainda por ela que persistiu em tudo isso.
Aos 23 anos faltava pouco para concluir a faculdade e já havia sido promovido mais 4 vezes, duas delas no mesmo ano.

Com parte de suas economias, produziu um curta metragem sobre suas peraltices, na qual intitulou com outros dados, outros nomes. Uma história sobre ele, sem nenhum dado pessoal e verdadeiro sobre ele, mas era ele. Suas anotações tornaram-se o livro mais vendido no país.

Hideki já falava inglês e italiano à nível intermediário. Já tinha barba e usava óculos, terno e gravata.

Quando numa tarde de autógrafos, uma mão pequena e muito suave o toca ao pedir um autógrafo. Era o reencontro de Hideki e Sayori.

Encerrando os autógrafos eles ficaram a conversar e foi surpreendido quando seu colega de trabalho, Segawa Kiro buscou Sayori. Hideki não sabia que eles se conheciam, tempos depois soube de seu noivado.

Hideki era forte exteriormente e interiormente, mas isso o abalou muito de alguma forma.

Tempos mais tarde, Yazumi Hideki era um senhor muito importante no país, tinha ações, sua própria empresa, coisas que pouco o importavam. Porém aos 27 anos ele largou toda sua vida de executivo, montou um estúdio musical e seguiu sua vontade totalmente oculta. A arte.

Apesar das músicas famosas, vivia tranquilamente. Shows à animação gráfica. E assim ninguém conhecia realmente a face do cantor “TR3Z1”.

Um comentário:

Keanu disse...

muito foda, o final então nem se fala, usar o (poder/dinheiro) para ser livre e fazer o que ama...